CONFIRA O BLOG DE MERCADOS FINANCEIROS E DE CAPITAIS

CONFIRA O SITE INVESTIMENTO E NOTÍCIAS
 
 
 

NA HORA DA CONTA

Além de pechinchar, dar aquela "choradinha" ainda é legal procurar lojas que ofereçam várias opções de pagamento. No shopping, pode-se pagar - roupas, CD’s, livros e outros - com dinheiro, cheque, cartão de crédito, débito automático e até vales-de-compra. Mas lembre-se que essas formas de pagamento não são aceitas em todos os lugares.
Você sabia que quase 51% das compras são pagas com cheque. Os cartões-de-crédito são usados em 25% das compras e os débitos automáticos em 17%. O dinheiro, a moeda física, é empregado em apenas 7% das compras.

 

Dinheiro, meu rico dinheirinho

O dinheiro é usado normalmente para compras do dia-a-dia como revistas, doces, chicletes, e normalmente, estabelecimentos pequenos só aceitam esse tipo de pagamento. Outra facilidade do uso do dinheiro é que ele é aceito em todos lugares.

O problema de andar com grandes quantias, em notas ou moedas, é que você pode ser assaltado ou simplesmente perder. Evite andar com a carteira cheia.


Cheques: Eu tenho a força!

Os cheques representam um dinheiro que você tem guardado no banco e são muito mais seguros, pois em caso de roubo, eles podem ser cancelados. Seu nome, endereço e telefone vem impressos nos seus cheques, para que só você possa usá-los. Quando dá um cheque como pagamento, você deve anotar no canhoto o que foi gasto, para haver um controle das suas finanças.
Para ter uma conta no banco é preciso ser maior de 21 anos ou ter a autorização dos pais. Você deve ter um movimento mínimo na conta para ter condições de manter e pagar as taxas necessárias para sua manutenção e, também, ser um cliente interessante para o banco.

Muitos bancos cobrem seus gastos, mesmo quando você não tem dinheiro para pagá-los, é o chamado cheque especial. Nesse caso, o banco empresta o dinheiro e cobram-se juros até que possa restituir a quantia. O uso do cheque especial não é recomendável, pois os juros são muito altos.
A quantidade de talões de cheques utilizados num determinado período também é controlada. Por isso, não saia passando cheques, para depois ficar sem talão. Muitas lojas não aceitam cheques por medo de fraudes ou por temerem que os cheques voltem (os chamados cheques sem fundo).


Cartão de Crédito, também conhecido com "dinheiro de plástico"

Existem vários tipos de cartões de crédito: Os cartões de banco (Oferecidos por um banco ou por uma instituição de crédito) e cartões de lojas (Emitidos por lojas de departamento e restritos a elas). Cartões de crédito servem para os consumidores comprarem, sem dinheiro no momento, e pagarem suas contas mais tarde. Há sempre um dia certo para a conta vencer, uma vez por mês. A ordem de pagamento é a fatura, onde vem descritas todas as compras efetuadas e quanto é a soma dos seus débitos.
Em caso de roubo ou perda do cartão, você deve cancelá-lo imediatamente, pois existem muitos casos de fraude com cartões de crédito. Antes de se tornar proprietário de um cartão, você deve ler as cláusulas de seu contrato com a instituição, que transforma você no responsável legal do pagamento de todas as suas compras. Existem muitos regulamentos para o uso de um cartão, como o limite de crédito, taxa de anualidade, pagamento mínimo mensal e algumas taxas. Se você deixa de pagar em algum mês, sua conta vai acumulando e são cobrados juros mensais. Os seus pais podem ser os titulares do cartão e o seu ser um adicional, nesse caso seus pais serão os responsáveis pelo pagamento do cartão.

 

Cartão de Débito, o dinheiro eletrônico

Ele é oferecido por um banco no qual tenha conta ou poupança. O que for gasto com esse cartão será, automaticamente, debitado de sua conta. O cartão é normalmente vinculado a alguma instituição de crédito. Com esse cartão, além do débito automático, você poderá ver o extrato ou retirar dinheiro da sua conta nos locais autorizados.

Para efetuar qualquer transação com o cartão é necessário ter uma senha pessoal e secreta. Por isso nunca dê sua senha a ninguém. O cartão de débito combina a conveniência do dinheiro e do cheque com a segurança de um cartão de crédito. Mas é importante lembrar que nunca deve-se usar seu cartão de débito sem ter fundos suficientes em sua conta para fazer o pagamento. Para evitar esse tipo de problema, tenha sempre controle sobre o dinheiro que você tem disponível.

 

O dinheiro também gera custos

Fique atento às tarifas bancárias

As instituições financeiras funcionam como qualquer empresa prestadora de serviços, ou seja, você paga para utilizar o que é oferecido. Cada banco tem liberdade para estabelecer um preço pelos seus serviços, porém existe uma média ditada pela concorrência. Então, além de procurar o investimento ou aplicação mais interessante para sua grana, é importante ficar de olho nas menores tarifas do mercado. Fique atento ao extrato da sua conta.
Não se esqueça que além das tarifas cobradas pelos bancos, existe a CPMF (Contribuição por Movimentação Financeira), que é um imposto estabelecido pelo Governo sobre todas as movimentações financeiras. O tributo é de 0,3% sobre o total da movimentação.

 

Conta Corrente. Sem rendimentos e com muitos custos

A conta corrente não é um investimento. É um serviço oferecido pelo banco que possibilita ao cliente guardar e movimentar dinheiro. Veja os preços cobrados por algumas instituições sobre a conta corrente.

Bancos
Abertura de conta
(R$/por evento)
Manutenção Conta Ativa
(R$/mensal)*
Manutenção Conta Inativa
(R$/mensal)
Bradesco
0,00
5,00
10,00
Itaú
0,00
4,50
10,00
Banco do Brasil
0,00
4,00
15,00
Caixa Econômica Federal
10,00
3,00
10,00
Banco Real
0,00
5,00
10,00
Unibanco
0,00
6,00
15,00
Fonte: Banco Central - Janeiro/2002

* Existem contas ativas e inativas. Os bancos cobram pela manutenção de ambas. Perceba que as contas inativas têm uma taxa de manutenção maior que as ativas. Isso ocorre porque os bancos têm que compensar de alguma forma a não utilização dos outros serviços.

 

Cartão de Débito, tendência do mercado

Você já deve ter percebido que é crescente a utilização do dinheiro de plástico - os cartões de débito ou crédito - e é cada vez menor o emprego da moeda corrente e do cheque. O crescimento desse seguimento é causado pela facilidade e segurança que oferece. O cartão de débito funciona como uma espécie de cheque - também conhecido como cheque eletrônico - e é um produto oferecido pelas instituições financeiras. Se ligue nas tarifas cobradas por esse serviço.

Bancos
Taxa de Anuidade (R$)
Bradesco
36,00
Itaú
48,00
Banco do Brasil
18,00
Caixa Econômica Federal
3,00
Banco Real
27,00
Unibanco
36,00
Fonte: Banco Central - Janeiro/2002


Extratos, o relatório das suas contas

O extrato é uma espécie de relatório do andamento da sua conta ou investimento. Todas movimentações ou depósitos são relatados. Serve, também, para ficar de olho nas tarifas cobradas pelo banco. Como todo serviço, você paga por ele.

Bancos
Terminal Eletrónico (R$)
Outros Meios (R$)
Bradesco
1,30
2,00
Itaú
0,90
3,00
Banco do Brasil
1,00
5,00
Caixa Econômica Federal
0,90
1,50
Banco Real
1,00
4,50
Unibanco
1,10
1,70
Fonte: Banco Central - Janeiro/2002

Cheques, ainda inevitáveis

Apesar do crescimento da utilização dos cartões, o cheque continua a ser bastante utilizado. Veja algumas taxas cobradas por esse serviço.

Bancos
Talão (Primeiro do mês/R$)
Cheque Administrativo (R$)
Bradesco
4,00
24,00
Itaú
0,00
20,00
Banco do Brasil
2,50
0,00
Caixa Econômica Federal
2,50
16,00
Banco Real
0,00
21,11
Unibanco
0,00
19,50
Fonte: Banco Central - Janeiro/2002

Obs: Sempre que tiver dúvidas consulte o departamento de serviços do seu banco ou outras fontes como: o site do Banco Central - www.bcb.gov.br - ou, do Procon - www.procon.sp.gov.br.